domingo, 25 de setembro de 2011

BIM, Desenvolvimento Econômico e "Eu"

Olá pessoal,

O BIM é sem dúvida a resposta perfeita ao desenvolvimento econômico atual pois a produção arquitetônica hoje está aumentando sua demanda, e isso resulta em mais projetos em menos tempo, portanto se você não usar as ferramentas certas vai atropelar etapas do processo produtivo e aumentar as chances de erro no projeto.

Queria me apresentar e primeiramente agradecer ao Adamo pela oportunidade de poder escrever para seu blog. Faço isso com muita satisfação, pois por algumas vezes me sentia uma "andorinha sozinha querendo fazer verão, quando há 7 anos atrás comecei a utilizar aqui em João Pessoa-Paraíba, o Allplan, sofware BIM, e não tinha com quem discutir minhas ideias e dúvidas. Era eu mesmo com meus botões. Na verdade, naquela época eu nem sabia o que era BIM, muito menos que o software que eu usava tinha isso. Era meu último ano de faculdade na UFPB, e eu estava mais preocupado em fazer a maquete do meu trabalho final de graduação do que qualquer outra coisa. Me formei e agora, não são mais os professores e sim o mercado que dita as regras, que normalmente é "produzir mais em menos tempo". Como sempre gostei muito da área de Representação Gráfica de Projeto o Allplan foi uma mão na roda porque as modelagens saiam muito rápido. Há 3 anos começou a surgir encomendas para projetos de arquitetura, e meu dia-a-dia não era mais só as maquetes 3D, e foi que o 2D 1/2, 2D começaram a surgiu no BIM, ou melhor, foi aí que eu descobri o que era BIM. E tudo mudou!

Como toda mudança, é preciso dedicação, perseverança e tempo...
A partir desse momento, os projetos foram surgindo com um novo desafio ...INTERAÇÃO com os projetos complementares, e aí surgiu um gargalo, a turma de engenharia que ainda não usa o BIM, e então PARAR ou CONTINUAR, o mercado não dá escolha...quer sobreviver, não olhe para trás siga em frente. Então, com um pouco de pesquisa descobrir os modos de exportação do Allplan em dwg, dxf, etc, e inclusive há um modo de exportar em XREF que já deixa a prancha toda pronta e os desenhos em outros arquivos linkados ao arquivo da prancha o que dá uma possibilidade de trabalhar de forma organizada.
Surgiu em meio a isso o interesse por construções em aço. O allplan já vem com uma biblioteca imensa de perfils metálicos, e a curiosidade de poder utilizá-los foi aumentando. Até que fui buscar formação, e percebi que não há margem para erros no projeto, pois eles podem significar um custo muito alto ao empreendimento, e os projetos tem que ser muito bem elaborados pois sua tolerância cai pra casa dos milímetros.

Não quero aqui dizer que uma construção em concreto armado pode ter erros, mas o método construtivo permite correções, in loco, diferentemente das de aço que as possibilidades são reduzidas.
Portanto, engenheiros, façam uso do BIM para começar a fechar o processo de produção dos projetos nesse método e assim examinar com mais eficiência a compatibilidade entre os projetos de arquitetura, estrutural, elétrico, hidro-sanitário etc, num mesmo banco de dados, pois estamos num momento de desenvolvimento econômico que não vai dar tempo para correções dos projetos durante a obra.
Estou me programando para realizar postagens periódicas mostrando algumas dessas ferramentas para trocar mais idéias com vocês.
abraços.