segunda-feira, 9 de maio de 2011

Famílias

Arquivo de edição da Família
Para dominar o Revit ao ponto de conseguir usá-lo como ferramenta de produção efetiva num escritório de arquitetura e conseguir se livrar do CAD, é fundamental entender como funcionam, saber como criar e editar novas famílias.

Famílias são no Revit o que os blocos são para o CAD. Mas não só isso, as famílias têm um papel muito mais importante, influenciando diretamente a qualidade do seu projeto. Família é um conjunto de elementos de características e parâmetros comuns e que possuem o mesmo uso, como por exemplo uma família de paredes, portas, escadas ou telhados. Mas não apenas os elementos tridimensionais são tratados como famílias, mas todos os símbolos de anotação usados no seu projeto, tais como cotas, cotas de nível, símbolos de corte ou nome dos ambientes, para citar alguns.

Um projeto é bem desenvolvido no Revit tanto quanto a qualidade e ao grau de detalhamento das suas famílias. Vou repetir de outra forma: Se você não investir na sua biblioteca de famílias, você não terá uma boa qualidade no projeto, tampouco uma boa produtividade ao longo do tempo. Para exemplificar como isso funciona na prática, vou demonstrar as vantagens com uma família de janelas basculante, criada por mim.

Diferentes Tipos da Família em Planta
Parametrizei as principais variáveis, como a largura, altura, caixilho e montante. Os tipos mais comuns já estão pré-configurados no meu arquivo modelo e caso precise de um novo tipo, basta editar os valores dos parâmetros e a janela se ajusta automaticamente.
Janela em representação Fina
Além disso, criei as representações simbólicas para a janela em todos os casos que a sua representação é diferente do modelo 3D (modelo real), como nas plantas-baixas quando as janelas são cortadas, quando estão em projeção (acima da linha de corte) e nos cortes. Assim, a representação gráfica sempre fica correta. Mas nem sempre eu quero que em planta esteja a representação clássica de duas linhas, há momentos que eu quero mostrar a seção real dos elementos em planta. No Revit, é possível diferenciar a visualização das plantas por grau de detalhamento (Baixa resolução, Média ou Fina), então quando coloco em resolução Fina a janela muda de representação automaticamente (assim como as paredes também se ajustam, como visto na imagem).
Diferentes tipos com materiais e medidas diversas
Os materiais também estão parametrizados, de forma que posso escolher se o caixilho é de alumínio ou PVC, ou se o vidro é incolor ou jateado, por exemplo. E essas características vão automaticamente para as minhas tabelas pré-configuradas nas pranchas do meu arquivo modelo, junto com os tipos, materiais e quantidades, sem que eu precise gastar 1 segundo me preocupando com isso.

Ou seja, tudo depende do grau de domínio sobre as famílias do projeto. Gastei cerca de dois dias até decifrar todos os mistérios necessários para criar essa família na época. Hoje, com a experiência adquirida, talvez eu não gaste 1 hora. Parece muito tempo para se gastar na criação de uma família, mas leve em consideração as centenas de horas que serão economizadas no futuro automatizando os seus processos.

Por último, uma dica: aprendam com os outros. Existem vários sites que se encontram bibliotecas de famílias, e pode ser muito mais fácil editar uma família existente que criar uma do zero. E, por isso, deixo a família usada como exemplo disponível para baixar aqui.

2 comentários:

  1. Concordo com você: a criação de famílias é o que mais dificulta a implementação do Revit.
    PS.: Será que você teria possibilidade de postar um vídeo tutorial sobre esta janela? Desde já, agradeço-lhe pela atenção.

    Abraços.

    Jomar
    Natividade - RJ

    ResponderExcluir
  2. Olá Jomar, obrigado pelo feedback. Iremos analisar a possibilidade de fazer vídeos no futuro, obrigado pela dica!

    Abraços.

    ResponderExcluir